Arquivo da categoria: Poesia

Prometa-me que serás livre!

pais-filhos (47)

*Inspirado no poema de Charles Chaplin

A liberdade verdadeira é um ato genuinamente interior, como a verdadeira solidão. Eu tenho aprendido a sentir-me livre ate mesmo quando estou preso a algo. Temos que aprender a sentir-nos livres até numa prisão, e a estar sozinhos até no meio da multidão.

A liberdade para mim é o fruto de uma conquista que fiz ao cultivar minha inteligência, elevando minha moral e estendendo-me a culturas por todos os lugares do mundo que passei. Por muito tempo me deixei enganar por uma cultura que limita, julga e condena e em consequência disso, limitei me aquilo que me diziam. Julguei, odiei e condenei a mim mesmo por ser quem sou. Hoje o conceito de liberdade que vivo está completamente vinculado à capacidade de amar profundamente a mim mesmo e deixar que Deus me ame com seu amor libertador.

No dia que me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E então, pude relaxar e deixar cair todas as máscaras. Hoje sei que isso tem nome chama-se autoestima. Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades. E hoje vivo livremente minha autenticidade. Deixei de viver a sombra de juízes que me ditavam o que fazer, como falar, pensar ou me comportar. Quando me amei com verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento. Deixei de me comparar. Deixei de dar poder a autodestruição e percebi que amadureci.

 Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou maneira de pensar a alguém, apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Tenho que respeitar as opiniões diversas, ouvir mais e aceitar os outros a minha volta, mesmo que eles não pensem como eu penso. Aprendi a viver o respeito. É fácil falar de respeito, difícil é vivê-lo quando nos deparamos com alguém que não vive, ou pensa como nós. Quando me dei conta que estava me amando de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável… Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. Outros me rotularam como egoísta, minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Mais hoje chamo de amor-próprio.

Amando-me de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos gigantescos e complexos para o futuro. Hoje faço o que o meu coração acha certo, aquilo que gosto e no meu próprio ritmo. Traduzo isso como simplicidade. Vivendo Passo-a-passo eu desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes. Vivo a humildade de forma mais completa! Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Vivo o momento presente, que é onde a vida acontece. Hoje vivo um dia de cada vez em plenitude. Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.

Quando entendi tudo isso. Percebi que Deus me amava realmente. Que me chama a ser feliz e livre. Foi entendendo que seu amor por mim vai além das minha limitações humanas, medos e tudo que me afasta para que eu seja livre. Eu sou mais feliz quando abraço aquele que realmente sou e deixo de lado o meu eu idealizado, mais sem deixar de lado o desejo de ser melhor a cada dia. Mais pra que tudo isso aconteça, Deus precisou se inclinar a mim e me pedir ama-te a ti mesmo e prometa-me que serás livre!

Anúncios

Se eu tivesse um amor


Por Rudney Novaes

Se eu tivesse um amor queria que fosse forte.
Se eu tivesse um amor, queria que me olhasse como sou e não como queria que eu fosse.
Se eu realmente tivesse um amor, me entregaria em verdade. Alma e coração!
Se eu entendesse que já tive um amor, talvez sofreria menos.
Será que perdi?
Será que não soube amar?
Será que tudo foi em vão?
Onde está a luta?
De onde vem a força?
Quando chegará dona felicidade vestida de branco?
Se eu tivesse um amor não questionaria tanto. Viveria mais!
Se eu tivesse esse amor bem perto tentaria abrir-me mais.
Se eu gostasse de amar talvez corresse atrás.
E se não corro em direção a esse amor quer dizer que não amo?
Quem dita a regra?
Quem fala a verdade?
Quem é puro?
Bom, na verdade queria um amor que fosse puro.
Queria encontrá-lo. Mas se eu o achar seria um acaso ou sorte? Sorte? Risos
E todas as palavras? Pra onde foram?
E o amor que me tinhas? Era pouco e se acabou?
Mas e hoje? E depois de tudo? Poxa que pena!
Se eu tivesse meu amor…
Cuidaria mais!
Amaria mais!
Falaria eu te amo!
Ouviria mais!
Cantaria mais!
Beijaria menos!
Entenderia melhor!
Seria mais amigo!
Mais irmão!
Mais família!
Sentiria o beijo!
O toque!
A cor!
A força!
A graça
E a dor!
Porem depois que tudo passasse diria que valeu apena!
Que sorte a nossa heim?

(P.S.: Um poema antigo! Porque não compartilha-lo?)


Maltrapilho


MALTRAPILHO
Maninho/Bruno Camurati

Paro por aqui
Não posso passar pela porta dos perfeitos
Proíbem meu jeito, defeito não é bem aceito aqui
Acesso negado

Quero te seguir
Será que me deixam aproximar de ti?
Tocar no teu manto, comer nesta mesa, beijar teus pés
Sentir o amor que não tem ressalvas
Que salva o que é meu
Que me chama a estar contigo

E assim posso esperar
que seja aquela mesma esquina
ou mesmo do lado de fora
ninguém merecerá
mas tua graça me conforta
que deixa ao fim Te alcançar


Till It Happens To You

I know what I said

Was heat of the moment.

But there’s a little truth in between the words we’ve spoken

Its a little late now to fix the heart that’s broken

Please don’t ask me where I’m going

Cause I don’t know

No I don’t know anymore

It used to feel like heaven

Used to feel like may

I used to hear those violins playing heartstring like a symphony

Now they’ve gone away

Nobody wants to face the truth

But you wont believe what love can do

Till it happens to you

Till it happens to you

Went to the old flat

Guess I was trying to turn the clock back

How come that nothing feels the same now when I’m with you

We used to stay up all night in the kitchen

When our love was new

Oooh love I’m a fool to believe in you

Cause I don’t know

No I don’t know anymore…

Tradução Português:

Eu sei o que eu disse

Eu estava aborrecido no momento

Mas existia uma verdadezinha entre as palavras que eu disse.

É um pouco tarde para concertar o coração que foi quebrado.

Por favor, não me pergunte aonde eu estou indo.

Pois eu não sei,

Eu não sei mais….

Isso costumava me fazer sentir no céu

Isso costumava parecer possível

Eu costumava ouvir aqueles violinos que tocavam meu coração  como uma sinfonia

Agora eles não existem mais

Ninguém quer encarar a verdade

Mas você não quer acreditar no que o amor pode fazer

Até isso acontecer com você

Eu fui ao antigo apartamento

Acredita que eu estava tentando fazer o relógio voltar?

Como pode ser que nada parece ser o mesmo agora que eu estou com você?

Nós éramos acostumado a ficar acordado toda a noite na cozinha

Quando nosso amor era recente.

Oh amor, Eu fui tolo em acreditar em você

Pois eu não sei

Não sei mais…


Alma Missionária

Senhor, toma minha vida nova antes que a espera desgaste anos
em mim.Estou disposto ao que queiras não importa o que seja,Tu chamas-me a servir

Leva-me aonde os homens necessitem Tua palavra, necessitem de
força de viver onde falte a esperança onde tudo seja
triste simplesmente por não saber Ti

Te dou meu coração sincero para gritar sem medo formoso
é Teu amor Senhor, tenho alma missionária conduza-me à
terra que tenha sede de Ti

E, assim eu partirei cantando, por terras anunciando Tua
beleza, Senhor. Terei meus braços sem cansaço
Tua história em meus lábios e a força na oração.

Ziza Fernandes