Arquivo do mês: dezembro 2009

Viver o Mistério da Encarnação!

Pensar em natal longe de casa é sempre mexer com  a minha história! Acho que esse é o 3 ano que já não passo natal com família e amigos próximos, mas ainda não acostumei. Só de pensar sinto aqui dentro aquela dor fina que faz o nosso coração gelar por alguns segundos! Mas feliz por saber que dou passos por onde o Senhor quer me guiar e não tenho medo de seguir com ele de olhos vendados!

Tenho sido muito agraciado por estar vivendo esse tempo aqui, no Coração da Igreja! Em menos de 3 meses já vi serem canonizados 4 santos, vi o Papa bem de perto 3 vezes e ser abençoado por ele, tenho a chance de vê-lo todo domingo no Ângelus na praça de São Pedro, estar na Missa de encerramento do Sínodo pela África, com músicas de tambores e atabaques marroquinos dentro da Basílica, ver o Santo Padre convidar o continente do meu coração a ter coragem de se levantar com e vestir-se vestes de glória e esplendor, visitar o tumulo do “Venerável João Paulo II” no dia em que o Santo Padre, Bento XVI proclamou seus Votos Honoráveis que dão a ele a posição de venerável dentro da Igreja e com isso estamos a um passo da canonização! É muita graça em tão pouco tempo! Mas Deus sabe de quanto meu coração precisa e por isso confio que sempre dá na proporção acertada!

Hoje entendi que quando abrimos o coração para viver o mistério da encarnação de Cristo, tiramos dai muito mais graças do que quando tentamos entender. Ser simples, humilde de coração para acolher aquele que chega. Ser fraco diante dele e apresentar ai as nossas falhas, culpas e limitações! Benditas sejam as quedas e culpas que nos trazem pra perto de Cristo. Óh necessário espinho cravado em mim que faz ser um com Ele. Só seremos capazes de viver esse mistério quando nos mostramos, reconhecemos as nossas fraquezas, pois é ai que aproximamos as pessoas de nós. Criamos amigos, abrimos o coração para que o outro entre na nossa vida e assim dissipamos a solidão, pois quando queremos provar que somos fortes, todos a nossa volta tendem a se afastar pois sabem que nunca chegaram a certo nível e não conseguiram se aproximar de nós. É mais fácil  amar o fraco que o poderoso.

A todos vocês meus amigo amado! Um feliz natal e um novo ano cheio da graça e força do céu! Não tenham medo de se abrir a Jesus menino. Escancaremos as portas da nossa vida e coração para que ele tome o espaço que a Ele mesmo pertence. Não hesite em pedir! Peça o essencial! Peça o que te faz feliz! Deixe de lado o supérfluo e peça aquilo que é eterno!

Que hoje neste dia de Natal o mistério da encarnação tenha espaço dentro de nós! Que possamos hoje, nessa noite de festa, deixar a razão de lado, apenas por 5 minutos, e dar espaço a fé para vivermos com plenitude o amor e força do Emanuel: Deus conosco!


Quem é esse homem que diz ter algo melhor para oferecer?

A região se chamava Samaria e o vilarejo é conhecido como Sicar.

O céu amanhecera sem nuvens, um dia lindo e com muita luz, mas o coração daquela mulher era o mesmo da noite anterior, a mesma busca de ontem e anteontem, mais um dia procurando significado para a vida. Mais um dia tentando entender o sentido de sua vida.

Envolveu-se com os afazeres de casa até que chegasse a hora de ir ao poço próximo da sua cidade e buscar água sem o desconforto de encontrar com outras pessoas e mais uma vez sentir-se desprezada pelos olhares e comentários sussurrados. Tinha dentro do seu coração o mesmo medo de sempre. O medo de ser julgada, humilhada e menosprezada.

Próximo dali, na Judéia, Ele decidiu virar as costas para a fama, literalmente fugir dela. Os comentários eram de que Ele batizava mais discípulos que o seu primo João, reconhecido por todos como um grande profeta. Fugiu da fama com um grupo de amigos e foi em direção à Galiléia.

Sol a pino, cansado da viagem, parou em um poço próximo a Sicar. Foi quando ela chegou para pegar água. É sempre assim: o calor do meio dia afugenta a todos e assim ela pode pegar água sem ser incomodada; por isso ficou surpresa quando de longe viu que havia outra pessoa próxima ao poço. Quando chegou, surpresa maior: um judeu.

Ele pediu água. Ela ficou quase indignada e lembrou que ele era judeu e ela samaritana; que ele era homem e ela era mulher. Enfim, aquela conversa não deveria estar acontecendo!

Ele insistiu! Falou que tinha um tipo de água que mata a sede para sempre. Ela ficou confusa. Que água era aquela que mataria a sede para sempre? Como ele poderia tirar água do poço se não tinha nada nas mãos para isso?! Quem era esse homem que dizia ter algo melhor para oferecer? Quem era aquele homem que a olhava sem querer nada em troca?

Ele insistiu novamente! Falou que a água do poço mata a sede mas só por um momento; a água viva, que ele tem pra dar, mata a sede para sempre. Ela não teve dúvidas! Imagine não ter que ir todos os dias, sol a pino, buscar água pra matar a sede! Imagine não correr o risco de ser desprezada com os olhares e humilhada com as palavras pelo caminho! Oh, Senhor dá-me dessa água! Ele começou a se aproximar. Ele sugeriu que ela fosse chamar seu marido para os dois receberem dessa água. Ela se entristeceu. Pois, não tinha marido. Sua vida amorosa e familiar tinha sido um desastre. Trocara tantas vezes de companheiro e por motivos tão fúteis que não sabia mais o que era ser amada.

Ele chegou mais perto: Já tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu. Ela ficou impressionada, mas sentiu-se ameaçada. Como aquele estranho sabia sobre a sua vida? Sua história havia ultrapassado as fronteiras ou aquele homem era um tipo de profeta? Quem sabe o messias prometido? Ninguém jamais havia falado de forma tão direta sobre o estado da sua vida, mas como permitir que aquele homem se aproximasse de seus sentimentos mais profundos da sua alma?

Ela lembrou que ele era judeu. Lembrou que havia uma linha divisória entre eles. Era assim que ela o afastaria! Nós adoramos aqui no monte, vocês adoram em Jerusalém. Vocês são judeus, nós samaritanos. Escondido no argumento, um pedido: por favor, não chegue mais perto do meu coração!

Ele contornou o obstáculo. O lugar não era importante. Vai chegar um tempo em que a adoração a Deus acontecerá fora de Jerusalém e longe desse monte. Aí não vai fazer diferença quem é judeu ou samaritano. Ela ouvia curiosa.

Ele explicou melhor. Deus procura verdadeiros adoradores. Não é o lugar de adoração que torna um adorador verdadeiro, não é assim que Deus avalia. O que faz verdadeiro o adorador é qualidade da adoração. Ela ouvia atenta.

Ela foi tocada pelas palavras daquele homem. Adorar a Deus de espírito livre e sem esconder quem era! Essa era a sua esperança com a vinda do messias.

Poder abrir o coração diante de alguém que conheça os detalhes da sua vida e ainda assim lhe receba; chorar suas dores e angústias para alguém que saiba o que elas significam; lamentar por seus erros e clamar por consolo! Ela não tinha dúvidas: isso sim, poderia saciar a sede da sua alma!

Mas apenas o Cristo de Deus, o messias prometido, o salvador esperado poderia ser a água para matar essa sede. Ela baixo a cabeça.

Ele olhou para ela e disse: Eu o sou, eu que falo contigo. Ela o ouviu dizer que era o messias. O seu coração palpitou forte. Ela jamais se acharia digna de vê-lo face a face, mas era verdade. Ele estava ali. Ela largou o cântaro e correu para a cidade. Ele viu a alegria em sua face e também se alegrou. Ela não podia guardar a notícia, contou para outras pessoas. Ela não podia adorá-lo sozinha, chamou outros para confirmarem com ela: ali estava o messias. A água viva que mata a sede.

Jesus não hesitou em quebrar as leis e as tradições religiosas para estender as mãos e dar o Amor de Deus! Ele não só ignorou as diferenças culturais, raciais e religiosas dos samaritanos, mas também olhou além do coração pecador da mulher no poço e viu uma alma que ansiava pelo Amor e pela Salvação que Deus oferece!
Jesus disse à mulher que se ela conhecesse a dádiva de Deus, ela teria pedido e Ele lhe teria dado uma fonte de água que jorra para a vida eterna!

Que você também receba o presente maravilhoso de Deus, a vida eterna, e que o Seu lindo Espírito de amor também brote no seu coração!

Obrigado Jesus pelo Seu amor maravilhoso — 
amor suficiente para perdoar todos os meus pecados.
 Ajude-me a amar e a ser misericordioso para com os outros 
da mesma maneira que Você me amou 
e foi misericordioso para comigo. 
Amém.