Arquivo do mês: março 2010

Till It Happens To You

I know what I said

Was heat of the moment.

But there’s a little truth in between the words we’ve spoken

Its a little late now to fix the heart that’s broken

Please don’t ask me where I’m going

Cause I don’t know

No I don’t know anymore

It used to feel like heaven

Used to feel like may

I used to hear those violins playing heartstring like a symphony

Now they’ve gone away

Nobody wants to face the truth

But you wont believe what love can do

Till it happens to you

Till it happens to you

Went to the old flat

Guess I was trying to turn the clock back

How come that nothing feels the same now when I’m with you

We used to stay up all night in the kitchen

When our love was new

Oooh love I’m a fool to believe in you

Cause I don’t know

No I don’t know anymore…

Tradução Português:

Eu sei o que eu disse

Eu estava aborrecido no momento

Mas existia uma verdadezinha entre as palavras que eu disse.

É um pouco tarde para concertar o coração que foi quebrado.

Por favor, não me pergunte aonde eu estou indo.

Pois eu não sei,

Eu não sei mais….

Isso costumava me fazer sentir no céu

Isso costumava parecer possível

Eu costumava ouvir aqueles violinos que tocavam meu coração  como uma sinfonia

Agora eles não existem mais

Ninguém quer encarar a verdade

Mas você não quer acreditar no que o amor pode fazer

Até isso acontecer com você

Eu fui ao antigo apartamento

Acredita que eu estava tentando fazer o relógio voltar?

Como pode ser que nada parece ser o mesmo agora que eu estou com você?

Nós éramos acostumado a ficar acordado toda a noite na cozinha

Quando nosso amor era recente.

Oh amor, Eu fui tolo em acreditar em você

Pois eu não sei

Não sei mais…

Anúncios

Música da semana!

Everyone needs compassion,
Love that’s never failing;
Let mercy fall on me.

Everyone needs forgiveness,
The kindness of a Saviour;
The Hope of nations.

Saviour, He can move the mountains,
My God is Mighty to save,
He is Mighty to save.

Forever, Author of salvation,
He rose and conquered the grave,
Jesus conquered the grave.

So take me as You find me,
All my fears and failures,
Fill my life again.

I give my life to follow
Everything I believe in,
Now I surrender.

My Saviour, He can move the mountains,
My God is Mighty to save,
He is Mighty to save.
Forever, Author of salvation,
He rose and conquered the grave,
Jesus conquered the grave.

Shine your light and let the whole world see,
We’re singing for the glory of the risen King…Jesus (x2)

My Saviour, He can move the mountains,
My God is Mighty to save,
He is Mighty to save.
Forever, Author of salvation,
He rose and conquered the grave,
Jesus conquered the grave.

My Saviour, you can move the mountains,
You are mighty to save,
You are mighty to save.
Forever, Author of Salvation,
You rose and conquered the grave,
Yes you conquered the grave


The struggle for inner growth – Part I

It is interesting for me to see that over all these years in my inner growth process, I have found several “I’s” that have lead me, in this path of personal development, to lose the real I.

I believe that in this journey in search of who I am, that I gently call ‘the process of getting to know myself better’, I have rejected and refused many times to accept my weak existence, and indeed, I end up hidden from myself. Being hidden from this real self forces me to be always in defense against its untamed presence.  It always tries to mask the effects of its presence, and so I find myself once again in a fruitless, sterile struggle.

This repression that I create for myself always leads to bitterness and hatred. The effort I make to tame my inner rebellion produces in me a personal violence difficult to bear.  Today I understand that living under this constant tension tires me out and I easily give up the fight.  I have found myself in a struggle to resolve the opposing forces that move violently inside of me: Good and evil.  Sweetness and bitterness.  Gentleness and aggression.  Love and hate.  Peace and war.

After a while in this battlefield, perhaps I can say that the true human maturity consists in following the variety of flows and streams to a river still and deep, which is full of life.

The mature human being is the one who knows how to balance the various opposing forces.  He is the one that can balance the internal forces that govern his personality.

Sometimes we fool ourselves into believing that we entrust our lives to God because one day we have taken a formal act of consecration or reconciled ourselves with someone after a prayer of forgiveness or anything like that.  But in fact, most of the time, only one side of us performs these actions.  The rest can live in apathy with that decision or even in opposition to it.
For me, the solution is to unite the different forces that dwell in us, leading us to a common project of life that allows us to coordinate and combine these forces. Fighting for a concrete purpose is what will make us well-structured and prepared, rebalancing the forces within us and redirecting our history.
Sometimes I think that this is the strategy of God: give us a mission and in there we find the strength to drag our whole being for this purpose.  Therefore, who we are in truth we will do the impossible to accomplish this mission, as there is within us the seed of divine grace that leads us back to the One who created us.  Consequently, there is something to fight for, a purpose to work for and an ideal for which to die: God’s plan.
We are not fruit of an accident.  God created us with a specific purpose.  No doubt we are part of a divine plan.  God calls us to a mission and gives us a specific charisma, which is our way of salvation, so therefore, the way in which we find ourselves with His love.
May the God of love and mercy strengthen us in patience, in the pursuit of self-knowledge and teach us to love as much He does!


A luta pelo crescimento interior – Parte I

É interessante para mim ver que durante todos esses anos, no meu processo de crescimento interior, encontrei vários “eu”  que levaram-me a me perder no meu caminho de desenvolvimento pessoal.

Acredito que nessa jornada em busca de quem sou eu, de me conhecer melhor, eu rejeitei muitas vezes a minha existência fraca e, na verdade, acabei me escondendo de mim mesmo. Isso me força a estar sempre me defendendo do selvagem que levo dentro de mim e que sempre tenta neutralizar os efeitos da sua presença, e assim encontro-me mais uma vez nessa luta sem frutos que chamaria de uma luta estéril.

Essa repressão que sempre tento criar para mim mesmo, gera sempre amargura e desamor. O esforço que faço para domesticar minhas rebeliões interiores produz em mim uma violência pessoal difícil de suportar. Hoje eu entendo que viver submetido a essa tensão constante, me desgasta, e facilmente abandono o combate. Sempre me encontrei lutando comigo mesmo por não saber balancear o jogo de forças que se debatem dentro de mim: O bem e o mal. A docilidade e a amargura. A gentileza e a agressão. O amor e o ódio. A paz e a guerra.

Depois de um tempo nesse campo de combate, talvez eu possa afirmar que a verdadeira maturidade humana consiste em reconduzir essa variedade de afluentes, correntes, para um rio sereno e profundo, que seja realmente fecundo.

O ser humano maduro é aquele que soube harmonizar os diferentes jogos de força. É aquele que consegue equilibrar um acordo entre as forças internas que governam a nossa personalidade.

As vezes nos enganamos acreditando que entregamos nossa vida a Deus porque um dia formalizamos um ato de consagração, ou nos reconciliamos com alguém depois de fazer uma oração de perdão ou algo do gênero. Mas, na verdade, essas ações são realizadas por uma parte de nós. O restante pode viver alheia a essa decisão ou até mesmo se opor a ela.

Para mim, a solução está em unir as diferentes forças que habitam em nós e que nos conduzem  a um projeto de vida comum e que nos permita coordenar, combinar esses esforços. Lutar por um fim concreto é  o que fará de nós seres humanos estruturados e ordenados, reequilibrará as forças interiores e reorientará a nossa história.

As vezes eu penso que essa é a estratégia de Deus, nos dar uma missão e nela encontramos a força que arrasta todo o nosso ser para esse objetivo. Sendo assim, aquilo que somos de verdade fará o impossível para realizar tal missão, pois existe dentro de nós a semente da graça divina que nos conduz de volta para aquele que nos criou. Assim sendo, há uma obra pela qual lutar, um propósito pelo qual trabalhar, um ideal pelo qual morrer: o plano de Deus.

Não somos frutos da casualidade. Deus nos criou com um propósito concreto. Sem duvidas somos parte de um plano divino.

Deus nos chama a uma missão nos concede um carisma especifico que é a nossa via de salvação, ou seja, a maneira pela qual nos encontramos com o Seu amor.

Que o Deus do amor e da misericórdia nos fortaleça na perseverança, na busca do auto-conhecimento e nos ensine a amar como ele tanto ama


Alma Missionária

Senhor, toma minha vida nova antes que a espera desgaste anos
em mim.Estou disposto ao que queiras não importa o que seja,Tu chamas-me a servir

Leva-me aonde os homens necessitem Tua palavra, necessitem de
força de viver onde falte a esperança onde tudo seja
triste simplesmente por não saber Ti

Te dou meu coração sincero para gritar sem medo formoso
é Teu amor Senhor, tenho alma missionária conduza-me à
terra que tenha sede de Ti

E, assim eu partirei cantando, por terras anunciando Tua
beleza, Senhor. Terei meus braços sem cansaço
Tua história em meus lábios e a força na oração.

Ziza Fernandes