Arquivo do mês: junho 2009

Prova que me ama?

Sabe-se que a palavra amor possui múltiplos significados na língua portuguesa. Pode significar afeição, compaixão, misericórdia, ou ainda, inclinação, atração, apetite, paixão, querer bem, satisfação, conquista, desejo, libido, etc. Isso na verdade é uma definição que encontraremos em qualquer dicionário ou enciclopédia da língua portuguesa. Porém o conceito mais popular de amor envolve, de modo geral, a formação de um vínculo emocional com algo ou alguém, um certo envolvimento afetivo digamos. Sempre pensei que não sabia amar, o amor nunca apareceu! Nunca foi claro! E me questionava quando sentirei isso? Amor, não é se envolver com a pessoa perfeita,
aquela dos nossos sonhos.
Não existem príncipes nem princesas.
O amor perfeito está naquilo que menos esperamos.

O tempo passou e descobri um amor diferente! Um amor que me completa, que a minha vida é totalmente dependente! Desse amor depende a minha vida, meus sonhos minhas alegrias! Estou certo que sempre me fechei ao amor em suas varias formas. Mas o verdadeiro amor existe por si próprio. Não depende de mim! Ele já é! Já existe! Preciso me abrir a esse novo, e amar!  É verdade que as vezes queremos algo mágico. Não estou dizendo  que estamos errados em querer isso.

Por que não podemos deixar a nossa humanidade gritar um pouco? Por que não sermos bem humanos de verdade! Quando se ama não se pode lutar contra a correnteza! É preciso saber pra onde a água vai e a nossa função é apenas seguir-la! Encarar o amor de forma sincera e real.

Quais são faces do amor? Bom seria um bom titulo pra um livro de mil paginas, mas o nosso principal desafio é achar a face do amor que nos realiza! As vezes o amor que nos realizará está em um outro alguém que nos completará para sempre. Pode ser num especifico estilo de vida social ou religiosa. Depende do que você quer amar! Para mim amar é um ato de decisão! Amar é uma decisão sim! Claro que difícil, muitas vezes, de acalmar um  coração! Pois caminhos, na vida, se cruzam. Opções e livre-arbítrio se oferecem. Cabe-nos porém, a decisão correta, o que nem sempre é fácil. Mas o que tenho feito é sentir o verdadeiro amor, e compreende-lo, ao vivenciar com o outro. Sabedores de que é uma conquista diária, em meio a percalços, com carinho e diálogo, cumplicidade e sinceridade. Tendo esta compreensão, aí então, pode-se dizer que Amar é uma decisão!

Tanta gente diz que o amor é lindo, mas pra mim o amor só é lindo, quando a face do amor que decidi viver, possa nos transformar no melhor que eu posso ser. Ai sim será lindo refletir a beleza do amor, pois caso o contrario não terá graça ou força alguma!

Pelas minhas viagem e andanças tenho visto o amor de formas extraordinárias. Um dia em algum lugar da África, conversava com um jovem menino, chorando, me perguntou como eu podia falar do amor com tanta certeza? Como eu podia saber se era amado ou não? Senti naquele jovem “miúdo” uma profunda dor e tristeza por não se sentir amado e querido! Por não ser aquilo que talvez sonhava em ser. Senti que a bela voz do amor ainda não tinha chegado nos ouvidos dos vilarejos mais pobres. Entrei em 5 minutos de confusão interior por não ter a resposta pronta, pois já me perguntei o mesmo infinitas vezes! Estávamos sentados na grama. O vilarejo era lindo! A beleza do simples me impressiona. Não sei se amo mais a beleza ou a simplicidade! Me confundo quando, com simplicidade, desejo amar o que é belo! Os tons de terras que se misturavam com o calor de 38 graus trazia uma fina camada de poeira, sobre a verde grama, que existia embaixo de nossos pés. Olhei a minha volta todo aquele cenário. É como se não tivesse a resposta certa. E não tinha! Estava confuso! A pobreza me confunde! A fome me revolta! A distancia do amor me condenava! Esses foram um dos cinco minutos mais eternos que já vivi! Não podia mentir! Mas não sabia o que dizer pois não me sentia amado a dias! No ultimo minuto parei, rebobinei o filme da minha vida e desafiei o amor a me dar a resposta. Não a resposta certa! Mas a resposta que preencheria o coração daquele menino que passava por um momento de desesperança e desamor!

O vento soprou uma forte brisa onde os pássaros que estavam em volta começaram a levantar vôo como loucos, cantavam, piavam na mesma direção em que o vento os conduziam! Cores diferentes, sons que eu jamais havia ouvido! Um momento único em que percebi que podia dar a resposta certa! Naquele instante ele disse que me amava! O amor me amou mais uma vez! E como um estalo, mil palavras vinham a minha boca.

O amor está em todo lugar e sempre pode dizer que te ama! Mas não foi suficiente, ele seguiu me dizendo: Se o amor é amor e ele fala? Quando ele te disse que te amava? Eu olhei firmemente pra ele. Olhos negros, brilhantes e com sede da respostas que satisfaria de vez o seu coração.

Eu disse ao menino: Ele diz que me ama quando ouço chover. Ele diz que me ama, quando o vento sopra forte! Ele diz que me ama quando as crianças me dão um tímido sorriso! Ele diz que me ama, quando o sol cai firme e laranja no céu da África. Ele diz que me ama quando um amigo me dá um abraço ou uma palavra! Ele diz que me ama, mesmo sem palavras. Ele diz que me ama com as ondas do mar na minha janela e também com o brilho da manhã. Ele me para e pergunta: Ele pode me amar quando eu trabalho na horta? Lógico, foi a minha resposta! Quando trabalhas ele te ama. Quando choras eles te ama! Quando os frutos brotam nas arvores ele te ama! Ele te ama no mais simples que você pode imaginar! Na verdade tudo isso só acontece para que você saiba o quanto amado você é! Mas que é que me ama? É o nosso deus Alá (Allah)? Perguntou-me o jovem nascido e crescido na cultura muçulmana. Certamente não sabia responder ou talvez não queria dar a minha resposta pessoal! Afirmei a ele: O amor é único! Não importa isso agora! Seja quem for e de onde vem! Ame! Seja amado e viva o amor! Escute ele falar com você dia e noite, incansavelmente! Não importa sua idade, cor de cabelo ou altura! Seja você grande ou pequeno!

E ele pergunta: Você já é grande né? Ele ama até os “grandão”? Eu me segurava a cada segundo para não desabar em prantos. Respirei fundo, segurei suas pequenas mãos calejadas do trabalho no campo e disse: Amigo, não tenho todas as respostas! E ele disse: Porque? O senhor já é grande. Os grandes sempre sabem todas as respostas. Quando eu for grandão como o senhor, eu vou poder dizer pros pequenos que o amor está em todo lugar e ama todo mundo, né? E ele seguiu dizendo…. Pois quando eu era pequeno conheci um moço grande que me disse que “tudo” ama. A arvore ama, o vento ama, a planta ama. Eu não disse que o vento pode amar, respondi. Disse sim, o senhor disse que ouve a arvore dizer que te ama! É eu disse, confessei! Você namoraria com a árvore? Desconcertado e sem fôlego disse: Amigo, tenho que ir você pergunta demais! Não moço, você que num lembra o que me disse (risos)! To atrasado, to indo! Ok? Qual seu nome? Rudney! Como? Rudney! Rubiny! Não não, pode me chamar  Rudy somente! Ok Rudiiii! E o seu amigo? Randziwa  wanga.

Semanas depois voltei ao vilarejo procurando o amigo que tinha conhecido. Mas infelizmente não pude encontrá-lo mas descobri algo mais lindo que me emociona a cada segundo, que no dialeto local da cidade, Randziwa  wanga quer dizer “meu amado”. O amor provou que me amava e da forma mais simples e bela!


O dia em que amei minhas Doces Mentiras!

As vezes acreditamos que esconder os fatos de nos mesmos, nos trarão menos dor. E a vida continua na mesma, o medo toma conta de tudo, supera a esperança de dias melhores, a realização e até mesmo a busca pela felicidade.silencio

Sempre reflito sobre a verdade, mas andei pensando nesses dias sobre o poder que a mentira tem, sobre o domínio de uma doce mentira sobre uma dura realidade. Muitas vezes optamos pela mentira. Quando estamos frente a frente com uma situação que não nos parece favorável, preferimos acreditar em palavras jogadas, nos enganos, nos contos e as tomamos posse disso como se delas dependessem nossa vida, nossa salvação, nosso sentido, e até mesmo todo nosso futuro. Certas mentiras nos convencem de tal forma que acabamos acreditando piamente no que criamos. Somos tão capazes de criar a nossa própria felicidade como nosso próprio fracasso. Um dia criei uma doce mentira pra mim! É impressionante como isso se tornou a minha verdade e numa certa altura não sabia que estava mentindo pra mim mesmo! Fui convencido por ela. Quando a doce mentira se torna a verdade desse nosso instante, somos absurdamente felizes, mesmo sabendo que aquele momento de alegria é singular, e horas depois serão lembranças que nos atordoarão a todo instante, baterão nossa porta todas as vezes que fecharmos os olhos.E outra vez tentaremos colocar os pés no chão, milhares de toneladas de verdade cairão sobre nossas costas, e aí vem o choro, o desânimo pela vida, vontade de ficar só, de sumir… E mesmo com os olhos tomados pelas lágrimas conseguiremos ver a sombra daquelas mentiras que devolvem nossa paz. Já cansados da ausência e da privação e com os olhos inchados de tanto chorar, as perseguiremos por onde quer que estejam, e faremos delas mais uma vez a capa mais bela de um livro que nunca escreveremos.


Ah! Como eu queria!

passadoip9Eu queria amar sem ao menos me preocupar. Sem tentar adivinhar o que passa pela sua mente. Eu só quero ser feliz intensamente E mostrar que tudo pode ser diferente.  Eu queria aceitar as coisas como elas realmente são, mas sei que nessa aula eu faltei. Eu quero poder sossegar nos seus braços e dizer que pra sempre te amarei.  Eu queria entender o que ainda não entendo eu só expresso a verdade sobre o amor e não guardo medo nem rancor. Caracterizo-me como um Homem de valor.  Eu queria dar o mundo, a lua e sol pra ti. Contar-te uma historia sem fim nem que demorasse por toda a vida para curar minha ferida.  Eu queria a eternidade Para satisfazer todos seus desejos. Eu não quero nem mais liberdade em troca de seus beijos.  Eu queria ser menos amoroso, mas ai morreria minha personalidade. Esse meu jeito de ser carinhoso. Torna-me com mais qualidade. Eu queria que nunca acabasse esse amor que é raro hoje em dia. Eu só vou deixar de te querer no dia em que eu morrer e assim descobrir um amor ainda maior que me tomará e me fará livre de amar você!


Vancouver – Canadá

VancouverHarbor Center

Vancouver é uma cidade localizada no Canadá. Segundo a revista The Economist é a melhor cidade do mundo para se viver. É a cidade mais populosa da província canadense da Colúmbia Britânica. Localiza-se na costa do Pacífico, no sudoeste da província.
Vancouver, com seu clima relativamente ameno no inverno e morno no verão, bem como as paisagens naturais em torno da cidade, e os seus diversos parques, praias e outros locais de recreação, fazem da cidade um importante pólo turístico do Canadá. Vancouver é considerada por muitos como uma das melhores cidades do mundo para se viver (em pesquisa recente aparece em terceiro lugar, atrás apenas de Genebra e Zurique, ambas na Suíça). Em 2005, a cidade foi eleita pela revista britânica The Economist como a melhor cidade do mundo para se viver.
Vancouver é uma cidade que vive à base do turismo (entre outras coisas), com centenas de parques, praias, lagos e montanhas, sem contar com os vários arranha-céus e com algumas construções em estilo europeu. Uma das maiores atrações da cidade é o Stanley Park.

WELCOME TO VANCOUVER