Arquivo do mês: agosto 2008

Pelo olhar da pobreza!

Pelo olhar da pobreza
Pelo olhar da pobreza

Finalmente 10 dias se passaram e minha rotina começou. Como disse na partilha anterior, tem me custado bastante viver cada dia nesta cidade. Tenho pedido a Deus a graça de olhar além daquilo que posso ver. Sinceramente, pensei que eu era mais forte, até mesmo que estava melhor preparado, física e psicologicamente, para ver e viver as realidades desse pais marcado pela dor e pelo sofrimento, que é fruto de uma guerra que semeou desolação, desesperança, fome e muitas outras conseqüências que é sentida até hoje.
Minhas atividades começaram na EPF – Escola de Professores do Futuro. EPF é um projeto que visa capacitar jovens moçambicanos para serem professores de 5ª à 8ª série nas escolas públicas na cidade de Maputo e outras províncias do norte e centro do pais.
Ontem conheci uma “Maria” que é professora de uma escolinha na área rural de Maputo. Ela perdeu seu esposo em fevereiro e até hoje anda vestida de preto para deixar claro que sente e vive a dor da perda. Maria tem 5 filhos e luta para continuar a vida, com um salário miserável, cerca de 1200 Meticais que corresponde uns R$78,00 reais por mês, isso é quando recebe. Com garra e vontade de viver, ela tenta não deixar que os filhos morram de fome a cada mês que passa. Essa é apenas uma das muitas “Professora Maria” de Moçambique.
Estou dando aulas de Moral e Ética, Inglês além de atividades ligadas a disciplina de Música e Artes Visuais. Tenho experimentado a vida simples e a beleza de ser tão simples quanto essa gente que me cerca. Sedentos de olhares de amor, sorrisos ou um simples elogio posso ver um olhar cheio de brilho e esperança em gestos comuns. Uma situação que tem me encantado são as aulas de inglês para as crianças de uma escola publica perto do projeto. O professor pediu ajuda para dar aulas para 60 crianças… oh Jesus! Confusão na certa! Eles vem para o pátio do projeto correndo com uma sede e alegria que enche de lágrimas os olhos daqueles que vê. Uns com cadernos, outros não, uns calçados outros descalços mas todos com um sorriso que comove. Como não temos espaço suficiente sentamos embaixo de uma grande árvore no centro do pátio e ali tudo acontece.
Tenho me visto mais feliz a cada dia! Como tenho certeza que quero ser de Deus, sem medo! Como me lançar me faz feliz de verdade! Não tenho mais dúvida! Todo de Deus no mundo, por onde quer que eu vá! As vezes tenho medo que o tempo passe e eu não dê o suficiente. Quero dar muito mais de mim! Pensamos que fazemos muito ou que trabalhamos muito, mas a verdade é que não damos ou fazemos nem a metade do que deveríamos. Ontem recebi um e-mail que me fez chorar por dentro e por fora! Testemunhos como esses é que me dão forças pra continuar a ser de Deus a cada dia. Eu quero ser de Deus para o outro. Que minha entrega de frutos. Esse é o meu desejo. Entrega que não frutifica é entrega estéril. Faz nos fecundos, Senhor!
Por incrível que parece aqui na África sou considerado branco e chamado sempre pelas crianças de “Mulungu”, que na etimologia da palavra quer dizer Deus Criador. Essa expressão é usada para se referir a toda pessoa de cor branca. Os que me conhecem de verdade sabem como é difícil pra mim amar e me deixar amar! Em Maputo, por onde passamos pessoas nos seguem pois querem nos tocar, falar ou receber um simples olhar de atenção, pois o povo africano não está acostumado com tons diferentes de pele, e na cabeça deles é como se aqueles que não são negros são superiores, ricos, ou coisa parecida. Me sentia extremamente incomodado com esse fato. Nos primeiros dias evitava sair de casa pois me sentia muito mal com a idéia de ser seguido em qualquer mercado que entrasse ou rua que passasse. Mas na semana passada Deus me fez ver essa “acolhida” como um geste de amor e cuidado. Percebi ser Ele me amando, tentando se aproximar, falar, olhar pra mim e dizer o quanto sou importante. Deus é sempre criativo comigo, usa mil formas e maneiras de mostrar que me ama e cuida de mim. E eu tenho aprendido retribuir esse amor, sendo recíproco à cada um que encontro na rua, na escola, ou na Barraca da Mamã onde compro os tomates frescos e a couve para as raras jantas que preparo sozinho.
“O amor, pra ser verdadeiro, tem de doer. Não basta dar o supérfluo a quem necessita, é preciso dar até que isso nos machuque”, precisa ser intenso, verdadeiro. Sou muito apegado aos meus medos ainda. Tenho medo de ir além, fazer mais, dar mais… Ás vezes fico frustrado comigo mesmo pois não faz lógica se sei que Deus é meu pai, por quê tenho medo?? Porque não permito que ele tome as direções da minha vida? É algo que tenho refletido a cada dia.
Pelos olhos da pobreza tenho visto o carinho de Deus sobre mim. E quero cada dia mais me ligar a esse olhar que me encana é me faz feliz. Hoje esse é o convite: Abrirmos a porta e deixar que Ele entre sem ter medo de ser feliz definitivamente. Não tenha medo do Cristo! Corra o risco de ser feliz de vez!

Anúncios

Partilha – Maputo/Moçambique

Tenho andado meio cansado de tantas mudanças. Confesso que recomeçar é sempre algo que exige muito de mim. E de dois anos pra cá me sinto na escola do recomeço, onde a cada semestre preciso dar um passo no escuro. Novas pessoas, novos amigos, nova língua, nova casa, novo quarto e nova cama. Nesse tempo de idas e vindas, perdas e ganhos, chegadas e partidas. Meu coração esta bem cansado, meu físico começou a reagir também, mais de um ano não ficava doente e agora com muita gripe, tosse e fraqueza no corpo.
Saindo de Johanesburgo, conheci Elizabeth uma taxista sul-africana de 51 anos que ama a si mesma e a Deus profundamente. Sem me conhecer me disse: “Olha filho! Não tenha medo de ser quem você é! Faça o que é preciso ser feito! Vá, Deus estará a te proteger e nada te acontecerá. Não tenha medo de falar a verdade e também falar sobre a verdade.” Ficamos conversando por volta de 1 hora o tempo que gastamos para chegar até a estação de ônibus. Ela me contou varias histórias e todas elas repletas de amor.
Cheguei em Maputo capital de Moçambique, dia 30 de julho. A viagem foi tranqüila porem não conseguia dormir ou descansar pois estava a espera do novo que não sabia o que era. A paisagem seca, as pessoas…. tudo era motivo de um olhar curioso.
Cheguei na ADPP – Maputo, lugar onde passarei os próximos 6 meses, por volta das 18:40. Tudo escuro. Estava completamente deslocado. Fui recepcionado por um dos professores do local, Professor Martins, que me conduziu ao lugar onde eu deveria dormir. Fiquei assustado. E tentando assimilar o sotaque moçambicano com um português carregado e que quase não entendo. O lugar era escuro, sem energia elétrica, completamente empoeirado, com colchões amontoados e muito mosquito, por fora eu sorri e disse que estava tudo bem….. mas por dentro um forte desejo de sair correndo dali e voltar pra minha casa. Sentado lá por alguns instantes me encontrei com um forte desejo de desistir, voltar atrás e viver a minha vida de outra maneira. Chorava sem saber porque. Chegar aqui foi a concretização de um sonho que venho buscando faz quase um ano. Mas não sei o que se passa dentro de mim agora. Não sei que confusão é essa!
Pedia a Deus que me desse a alegria de estar aqui e que me focasse em meus propósitos. Quero dar minha vida por amor, preciso por sentido no que estou fazendo.
Padre Anderson me perguntava se não era fuga vir pra cá? Minha resposta foi não. Mas refleti um pouco sobre isso, sim. E creio que estou no caminho certo. Tenho visto a mão de Deus a me guiar. Mas não deixarei o orgulho me dominar se perceber que não é esse o meu caminho. Voltarei a trás sem medo. Mas por enquanto quero seguir por essa trilha. Pisas as pegadas de Jesus sempre foi um dos meus maiores desejos. E o meu grande medo é o de não ouvir a voz Dele a me chamar.
Louvo a Deus pela graça de ter estado na Jornada com todos vocês que me deram força e animo humano e espiritual, que usarei para sustentar essa nova fase que chegou.
Realmente a musica que marcou a jornada pra mim é “Hoje livre sou” do Ministério Adoração e Vida. Como sinto vontade de ser todo de Deus

Cansasso no caminho

Cansasso no caminho

essa música. Sentido na vida minha alma encontrou!!!! Amo a Deus!
“Senhor quero ter sede da sua graça a cada dia e te bendigo pois sou muito mais forte e vou muito mais longe quando eu tenho a Ti. Nada vai me separar do Teu amor. Nada nesse mundo!!! Pois o que o amor sela nada pode separar. Serei unido a Ti, meu Deus, para sempre. Meu tesouro, meu amigo, meu amado. Estarei sempre contigo! Ama-me! Cuida de mim!”