Arquivo do mês: novembro 2008

Na primavera da incerteza

Incerteza de um meninoNa primavera da incerteza tudo é saudade. O menino olha em volta com um ar de riso. No fundo há medo e dúvida. 12 anos de idade, mãos grossas de calos do trabalho pesado no campo ao sol escaldante, em casa a dor e na vida a insegurança. Os pés marcados pelo medo no caminho. Mas onde tem pisado esses pés que talvez os meus nunca chegarão? É preciso conter as lagrimas e tirar do fundo um sorriso de amor e de esperança. Olha pra frente menino! Mostra teus pés! Suponho que você não queira vê-los.
As vezes quando não temos muito o que dizer podemos optar pelo amor. O amor fala por si só. Não precisa de complemento. Trás o que é necessário quando a imagem da verdade nos faz perder as palavras. Na primavera das zonas rurais de Moçambique o amor não tem tanta cor, não tem flores, não tem quem corra nos parques, pois não há parques, mas talvez o menino que deveria estar lá correndo nos parques verdes imaginários, regados por águas frescas que aliviam a tristeza de uma tarde gris, precisa mais do que nunca estar junto dos seus únicos brinquedos, a lata d’água e a inchada. Mostre seus pés menino, não tenha medo de ser feliz de verdade!